sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Cotidiano

Sei que não fiz muita falta, talvez não tenha feito nenhuma...rs

É que fica difícil escrever num lugar em que não me sinto muito à vontade, pouca paz. E o pior é que esse lugar é minha própria casa. Mas não culpo ninguém por isso, não sou fácil.

Pois é, ainda estou de saco cheio e num dá pra escrever coisas legais aqui, então decidí postar um Poema de um querido amigo, um artista. Beijos pra todos, e aí vai...



Cotidiano
[06/07/08]


E todos os dias eu acordo e vejo a grama verde,
pessoas reclamando, o tempo passar. Todos os dias eu me olho no espelho,
e ele ainda continua a mostrar o exterior de mim e cada minucioso defeito.

E todos os dias eu vou dormir e as noites não são mais as mesmas,
eu não consigo para de reclamar, e o tempo parece não passar.
Fecho os olhos e apenas tento dormir, mas não consigo. Minha cabeça passa e repassa cada segundo desse dia, coisas que poderiam ser ditas, as coisas que poderiam não ser ditas.

E só de pensar que cada dia é único, como cada pessoa e cada segundo. Que nada do que passou irá voltar, e que todos os momentos bom são apenas lembranças.

Mas eu tenho certeza que todos nós, levantamos todos os dias com esperança. Com esperança de que tudo de ruim vai passar, que os tempos bons vão voltar, ou que melhores virão. E acima de tudo com esperança que continuemos fortes para enfrentar as dificuldades.

[Rômulo Rodrigues Sparapan]




4 comentários:

Leandro Regueira disse...

Adorei o poema e o que você escreveu querido :D

Rômulo R. Sparapan disse...

Ai como você é booobooo!
eu não sou um artista, apenas escrevo o que sinto :/
e o pior de tudo é isso!



<3
Beijo kim (L)
lov ya.

Edgard disse...

¬¬
adorei queridinhooo

Juzinhax disse...

vkkkkkkkk
o comentario do ed eh o melhor
auahauah
adorei o poema tbm ^^
te intendo perfeitamente =)